Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

BLOGUE REAL ASSOCIAÇÃO DE LISBOA

Tailândia: a democracia venceu

Desenganem-se aqueles que pensavam que os “vermelhos” venceriam a batalha iniciada nas ruas de Bangkok, na sequência da tentativa de golpe de Estado ocorrida na passada semana na capital da Tailândia.

Mais do que uma pretensa luta entre “ricos e pobres”, o golpe foi financiado por um conglomerado capitaneado pelo corrupto ex-primeiro ministro, o multimilionário Thaksin Shinawatra, na sequência da já anterior afirmação por parte daquele ex-dirigente de um poder pessoal sem fim mas que encontrava contudo ramificações nas elites empresariais provinciais, a par de uma aliança estratégica com o maoísta PC tailandês.

Com a ocupação da capital tailandesa visava-se fundamentalmente a queda do regime democrático e da secular monarquia, esmagadoramente apoiada pelo povo do Sião, favorecendo a conhecida estratégia expansionista da grande superpotência da região.

A verdade é que o golpe de Bangkok falhou e tal deveu-se à inteligência da reacção contida dos dirigentes tailandeses que apanhou desprevenidos os opositores que esperavam um banho de sangue para, dessa forma, justificarem a pretensa falta de democracia no País.

As baixas foram quase insignificantes e o regime sobreviveu, a exemplo dos séculos em que o Sião jamais aceitou ser colonizado. Desesperados e sem honra, os “camisas vermelhos” bateram em retirada mas, em desespero, semearam um rasto de destruição que levou a que Bangkok perdesse numa só noite os maiores centros comerciais da Ásia, equivalendo estes à superfície total do Colombo, das Amoreiras, do Vasco da Gama, do Allegro Tejo e do Continente, entre outros.

A par desta atitude mais típica de terroristas urbanos, arderam dezenas de edifícios públicos e privados e perderam-se mais de 8000 postos de trabalho... Segue-se agora a tarefa da reconstrução e da reabilitação da costumeira imagem pacífica do país. A monarquia, essa, mais do que nunca, continua a trilhar o seu caminho e a assegurar o bem-estar social do povo do Sião.

A democracia triunfou!


Pedro Quartin Graça in Diário Digital (16-Jun-2010)

A Real Associação de Lisboa é uma estrutura regional integrante da Causa Real, o movimento monárquico de âmbito nacional. Esta é uma associação que visa a divulgação, promoção e defesa da monarquia e da Instituição Real corporizada na Coroa Portuguesa, cujos direitos dinásticos estão na pessoa do Senhor Dom Duarte, Duque de Bragança e em quem legitimamente lhe vier a suceder. Cabe a esta associação a prossecução de iniciativas e de projectos de interesse cultural, social, assistencial e de solidariedade que visem a dignificação, a valorização e o desenvolvimento dos seus associados e da comunidade em que se insere.

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D